Doe Sangue. Salve Vidas.

Atualizado: Fev 26


Freepik

O sangue é essencial para tratamentos e intervenções urgentes e pode ajudar pacientes que sofrem de condições com risco de vida, além de apoiar procedimentos médicos e cirúrgicos complexos. O sangue também é vital para o tratamento de feridos durante emergências de todos os tipos (desastres naturais, acidentes, conflitos armados etc.) e tem um papel essencial nos cuidados maternos e neonatais. Além disso, esse tipo especial de tecido conjuntivo, que é o sangue, funciona como um transportador de substâncias de extrema importância para o funcionamento do corpo e não pode ser substituído por nenhum outro líquido.


Por estes motivos a doação é tão importante. Portanto, pensando em medidas para reforçar essa importância de se doar sangue, sensibilizar novos doadores e fidelizar os que já existem, o dia 25 de novembro é considerado o dia nacional do doador de sangue. O mês de novembro foi o escolhido por preceder um período de estoques baixos nos bancos de sangue.


A proximidade das férias, de datas comemorativas de fim de ano, carnaval e outros períodos de feriados prolongados torna esse dia especialmente importante para promover o ato solidário e regular da doação de sangue, independente de se conhecer ou não pacientes que necessitam de transfusão. Vale ressaltar também, que a data é diferente do Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado em todo 14 de junho, que foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2005.


Como funciona o procedimento de doação de sangue


O procedimento para a doação de sangue é simples. Lembrando que o doador deve ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar mais de 50 quilos, estar com documento de identidade e evitar alimentos gordurosos no dia da doação.


De acordo com o site do IFF/Fiocruz, a doação segue os seguintes passos:

1 - Cadastro: O doador, portando um documento oficial com foto, é cadastrado e recebe um questionário para ser respondido. Esse questionário tem o objetivo de avaliar se há alguma situação ou doença que impeça a doação de sangue, portanto as respostas devem ser sinceras e qualquer dúvida deve ser esclarecida na próxima etapa - a triagem clínica.

2- Triagem clínica: O doador é entrevistado e examinado por profissional de saúde, em local que garanta a privacidade e o sigilo das informações. Esse profissional verifica as respostas do questionário e avalia pessoas com alto risco de transmitir doenças pelo sangue. O doador deve ser consciente de que as suas respostas são muito importantes para garantir a sua integridade física, bem como a de quem vai receber o seu sangue. A segurança do paciente que recebe transfusão começa com o doador.

3- Coleta de sangue: A coleta de sangue dura no máximo 10 minutos. Todo o material utilizado é estéril e descartável. Não há risco de contrair doenças doando sangue.

4- Lanche - Após a doação o doador recebe um lanche e informações sobre os cuidados básicos que devem ser tomados após a coleta do sangue.


Mitos em torno da doação de sangue


A fim de estimular a doação de sangue Maria Cristina Pessoa dos Santos, esclarece os principais mitos em torno da doação de sangue. Confira alguns:


1. A doação "engrossa" o sangue, entupindo as veias?

Não. A doação de sangue não causa nenhum prejuízo à saúde do doador.

2. A doação faz o sangue "afinar", "virar água", provocando anemia?

Não. O candidato a doação de sangue é avaliado antes de doar, com exames de sangue e avaliação clínica, para evitar que a doação cause algum mal ao doador. Aqueles com taxas baixas de hematócrito são impedidos de doar.

3. Doar sangue engorda ou emagrece?

Não. A doação de sangue não é capaz de influenciar no peso do doador.

4. "Posso ficar sem sangue suficiente"?

Não. Em cada doação, são coletados no máximo 450 ml de sangue, o que é menos do que 10% do volume sanguíneo total de um adulto, por esse motivo só é permitida a doação por pessoas acima de 50 kg. A quantidade é calculada conforme o peso do doador.

5. Quanto tempo demora para o organismo repor os níveis anteriores à doação?

A reposição do volume de plasma ocorre em 24 horas e a dos glóbulos vermelhos em 4 semanas. Entretanto, para o organismo atingir o mesmo nível de estoque de ferro que apresentava antes da doação, são necessárias 8 semanas para os homens e 12 semanas para as mulheres. Esses são os intervalos mínimos entre as duas doações de sangue.


Lembrando que, para garantir a proteção ao doador e a segurança de quem vai receber o sangue, existem critérios que permitem ou que impedem a doação de sangue, determinados por normas técnicas do Ministério da Saúde. Clique aqui para saber quais são.


É importante ressaltar que ainda estamos em novembro, mês da campanha do Novembro Azul, que tem como objetivo chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de próstata e de outras doenças que atingem a população masculina. E a doação de sangue se faz extremamente necessária nesse momento, já que, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o sangue é necessário para a realização das cirurgias nas unidades hospitalares do Instituto, pacientes em tratamento quimioterápico, pacientes com leucemia ou aqueles que realizaram transplantes no Centro de Transplante de Medula Óssea (CEMO). Para atender à demanda, o Instituto necessita, em média, de 2000 doadores por mês.


Sejamos solidários e empáticos. Tomando todos os cuidados, é possível ajudar o próximo. “Doe sangue. Doe vida”.


Publicado por Fui / Gabriela Castro e Verônica Jellifes

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

ATENDIMENTO

REDES SOCIAIS

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube

Copyright @2020 FuiApp. Todos os direitos reservados.